fbpx

logo

(11) 96331-4373
contato@farmermkt.com.br

10 coisas pra avaliar seu site

Farmer Marketing Digital / Receber mais visitas  / 10 coisas pra avaliar seu site
10 coisas para avaliar seu site

Esses dias ouvi uma frase muito legal do nosso Gerente de Sucesso (Customer Success) na Resultados Digitais: nosso trabalho é parecido com o do mecânico. Quando vamos a um temos uma queixa, ele abre o capô do carro e pode achar só aquele problema ou diversos outros. Isso é super real!

Afinal, nosso olhar como profissionais de Marketing acaba sendo muito mais apurado que o do cliente. Ou seja, faz parte do nosso diagnóstico inicial sempre avaliar os sites de quem nós conversamos. Então, juntei 10 pontos (e 1 bônus) para você conseguir avaliar seu site.

Esses são os itens mais importantes para começar a ter melhores resultados com seu site. Ou seja, mais visitas e mais conversões. Vamos lá!

Vamos avaliar o site?

1. SSL (Certificado SSL)

Sabe aquele cadeadinho ali ao lado do endereço desse post?

Então, ele é bem simples de encontrar (ou não) no seu site. Aliás, este é um dos itens mais importantes para que consiga ranquear seu site no Google. Isto porque, desde 2015, o Google passou a considerá-lo como fator para o ranqueamento.

Ou seja, significa que alguém está certificando que seu site é seguro, tornando-o assim mais interessante para o visitante, que tem pouca chance de ter seus dados roubados.

Assim, se você tiver o cadeado, ótimo! Pode pular para o próximo ponto!

Mas, se não tiver, fique tranquilo! Afinal, a maioria das hospedagens hoje oferece o SSL de graça (antigamente era necessário pagar entre R$80 e R$300/ano para conseguir). Então, com seu provedor oferecendo, você só precisa solicitar no Painel de Controle (na dúvida entra em contato com eles por telefone e peça ajuda) e configurar seu site para habilitar o SSL. Esse processo no WordPress é bem simples: basta instalar o Plugin Really Simple SSL e ele faz todo serviço.

Caso queira compreender mais, temos um outro post com a explicação sobre o que é e como funciona o HTTPs.

2. Indexação no Google: Descrições e quantidade de páginas

Este é mais um item bem simplezinho de avaliar!

Inclusive, é bem relevante você saber quantas páginas do seu site o Google lê. Já vi alguns donos de sites que se incomodavam porque nenhum contato chegava pelo site ou porque nunca encontrava o próprio site nas pesquisas. Nesses casos, ao fazer a pesquisa acabo percebendo que nenhuma página estava indexada (cadastrada na lista de páginas do Google).

Então, você vai acessar o https://google.com e, na pesquisa, colocar “site:” e o endereço do seu site, assim:

Então, aqui vão algumas informações importantes você vai encontrar fazendo essa pesquisa:

  • O número de páginas indexadas: quanto mais páginas, mais portas de entrada, portanto, mais visitas;
  • Os títulos das páginas;
  • E as descrições das páginas: Dê uma olhadinha na primeira descrição ali em cima. Então, percebe como ela conversa com o visitante que pesquisa por “vale a pena investir em Marketing Digital?”. Você clicaria? Entretanto, há diversas páginas por aí sem descrição nenhuma: isso pode diminuir a quantidade de visitas do seu site.

Mas, existe um número ideal de páginas para seu site?

Não, não existe. Geralmente, para entender o que faz sentido ou não, pesquiso os concorrentes. Assim, olhando um cenário maior fica mais simples de compreender, se o site em questão tem ou não a quantidade ideal. Portanto, vale investir um tempinho para olhar o site: dos seus concorrentes.

Agora, se você tem o site One Page (aquele com todo conteúdo em uma única página) vai ficar bem triste nesse teste. Isto porque vai perceber que você só tem uma única chance de entrada pelo Google. Por isso, recomendamos esse formato apenas como um “tampão”, algo provisório, apenas enquanto você constrói seu site definitivo. Afinal, para conseguir resultados maiores, é necessário um site com diversas sessões, que conversem entre si, com o tema principal e com as necessidades do seu público.

Então, vou deixar aqui dois exemplos simples de sites que atendem essas necessidades que comentei: o site de Mochilas Personalizadas da Roar e do Médico Urologista Dr. Marco Nunes. Por exemplo, você vai perceber, que o site da Roar tem menus:

Ou seja, diversos caminhos para orientar a navegação do usuário. Além disso, múltiplas portas de entradas, que significam mais visitas no site.

E aí?
Como está a indexação do seu site?

3. Velocidade das páginas

Esse item é bacana de avaliar! Mas, dependendo do resultado, você pode precisar de um programador. Então, vamos lá!

Em primeiro lugar, vamos deixar claro que a velocidade pode ser influenciada por vários fatores:

  • Peso das imagens;
  • Programação do site;
  • Robustez da sua hospedagem;
  • Quantidade de plugins (caso use WordPress).

Mas, o primeiro é o problema mais comum. Afinal, existem dois formatos muito utilizados para imagens: JPG e PNG. O PNG é ótimo para deixar a imagem com fundo transparente – e tem qualidade bem superior -, então os desinformados acabam optando por ele. E isso mesmo quando não há a necessidade de fundo transparente. Então, uma dica: procure privilegiar as imagens em JPG, que são mais leves!

Além disso, outro problema nas imagens está nas dimensões (largura x altura). Afinal, é comum encontrar uma imagem com quantidade de pixels superior ao espaço disponível para ela.

Mas, como assim? Bugou? Vou explicar!

Largura e altura das imagens

Por exemplo, esse post tem espaço de 960px de largura. Ou seja, este é o espaço reservado para esse texto ir de uma ponta a outra (antes da coluna lateral). Então, se e eu colocar uma imagem com 1.260px (por exemplo), vão sobrar 300px, certo?

Pois é, essa “sobra” significa que minha imagem estará mais pesada, se comparada com uma imagem de 960px. Mas, como não há espaço para exibir o conteúdo maior, isso será inútil.

Portanto, para resolver ambos (qualidade e peso) costumamos usar o Photoshop para salvar as imagens de qualquer site. Assim, sempre utilizamos a opção “Salvar para Web” com até 70% de qualidade e tamanho exato de onde ela vai aparecer.

Mas, Marcelo, como vou descobrir o espaço reservado para uma imagem?
Simples simples! Se você usar um macbook, pode usar o comando de print personalizado (command + shift + 4). Dessa forma, ele vai te oferecer um cursor para fazer seu print screen, e nele uma régua para medir. Mas, caso use Windows, pode baixar o Measure-it no seu Google Chrome e aproveitar!

Ferramentas para avaliar a velocidade do site

Para avaliar a velocidade do seu site, você pode usar o GT Metrix.
Essa ferramenta vai te dizer quanto tempo leva para sua página abrir. Além disso, vai apontar os possíveis vilões, que aumentam esse tempo de carregamento.

Mas, é importante salientar que: ele vai te apontar o resultado daquela url específica. Então, para entender o real motivo da lentidão, é importante testar mais de uma página.

Ou seja, você pode testar sua página inicial, serviço, blog… Assim, com os resultados, vai conseguir entender se alguma imagem ou plugin está atrapalhando o carregamento das páginas do seu site.

Por fim, se todas as páginas estiverem mal, pode precisar trocar de hospedagem (as compartilhadas geralmente são mais lentas) ou a programação do site.

4. Falando em imagens…

Começando a falar um pouquinho de SEO (Otimização de site), um item bem sussa de avaliar é o nome das imagens. O ideal é que o nome do arquivo seja igual a url da página.

Um exemplo simples usando esse post aqui: a URL dele é https://farmermkt.com.br/10-coisas-pra-avaliar-seu-site, então o nome das imagens geralmente vão conter 10-coisas-pra-avaliar-seu-site.

Assim ajudamos o Google a entender que esse post faz sentido.

5. Facilidade de uso no celular

Isso mesmo que você leu, seu site estar SUPER adaptado ao celular faz com que o Google o ranqueie melhor.

Esse fator de ranking é bem explicado pelo grande foco da empresa: o usuário. Desde sempre as melhorias no buscador foram no objetivo de entregar o melhor resultado para quem busca. Os smartphones hoje são acessíveis a todos, no Mundo inteiro.

Imagina deixar essa parcela de fora das otimizações? De jeito nenhum. Então teste seu site, página por página para entender se seu site é interessante de ser visitado pelo celular.

Além de abrir, ele precisa ter clique fácil (para quem usa uma única mão na navegação), letras em tamanho legível, links diferenciados e claros de compreensão, carregamento rápido e por aí vai…

Para testar esses e outros itens você pode usar o Think with Google e o Page Speed Insight.

Esse item é tão relevante que o Google já anunciou que em 2021 teremos o lançamento do Google Page Experience, que vai abordar itens como Mobile Friendliness, UX, HTTPS (falei ali em cima), interatividade e outros… Fique de olho!

6. Headings ou cabeçalhos

Esse fator tem um pezinho no anterior, na experiência do usuário. Já que nosso olho ao visitar uma página acaba escaneando todo conteúdo e conseguindo ir direto ao ponto quando você usa bem os headings (ou cabeçalhos ou subtítulos).

Dessa forma, quando você separa bem seu conteúdo, os subtítulos ajudam os visitantes a localizarem os trechos que mais interessam, deixando assim, de “perder tempo” consumindo um conteúdo que eles já conhecem ou que não interessa tanto.

Digo que tem um pé no anterior por conta da experiência, que tem feito parte da análise do Google. Mas o mais importante nesse quesito é para o Google compreender a relevância da sua página para o assunto principal dela.

Vou explicar melhor, imagine uma página sobre Aula de Pilates (já fizemos um site nesse segmento), algumas dúvidas são bem comuns:

  • O que é o Pilates;
  • Quais são os Benefícios;
  • Pilates Emagrece?
  • Pilates na Gravidez;
  • Pilates na Terceira Idade;
  • Pilates solo x com aparelho.

Listei aqui em cima alguns dos muitos conteúdos que uma página sobre Pilates poderia ter, além de incluir itens sobre cada estúdio de pilates, como:

  • Horários da Aulas
  • Modalidades (Solo ou Aparelho)
  • Localização
  • Oferta de Aula Gratuita Experimental
  • Instrutores…

Vê como uma página pode ser densa?
Imagina todo esse conteúdo “jogado” sem sub-divisões, seria uma completa bagunça.

Então analise agora em seu site: todas as páginas dele têm subtítulos que conversam com o título principal?

Sim? Ponto pra ele!
Não? Bora trabalhar para deixar tudo bonitinho.

Já vi bastante site que até trabalha esses conteúdos que comentei ali em cima, mas acaba não colocando a palavra-chave no subtítulo. Então tem divisões como “Benefícios”. Quem está no site vai compreender que o tal benefício é sobre o serviço/produto que está acessando.

Mas o Google não vai interpretar assim.
Então, está falando dos Benefícios do Pilates? O título precisa ser Benefícios do Pilates ou Conheça os Benefícios do Pilates ou Surpreenda-se com os Benefícios do Pilates.

7. Esse é importante demais: os títulos das páginas

Eu até arrisco dizer que se você fizer o primeiro (SSL) e esse aqui tem grandes chances de ranquear bem seu site.

Se você usa um WordPress, certifique-se de que em Configurações > Links Permanentes esteja configurado como TÍTULO = url da página). Aí é correr para o abraço!

Claro que cuidando de todos os pontos desse post vai ranquear melhor.

Mas afinal de contas, por que o tal do título da página é tão importante?

  1. Seu site bem configurado, esse título vira o H1 (principal cabeçalho) na página;
  2. Esse título aparece no título do seu Browser (Chrome, Firefox, Safari…) e no título do seu site lá no Google;
  3. E esse título vai para a url do seu site.

Ou seja, quando o Google escaneia seu site consegue rapidinho entender do que se trata essa página.

A partir dai, basta você escolher bem quais títulos suas páginas terão. Por que falo em escolher bem? Vejo muitos sites com títulos que não refletem 100% o que você quer oferecer.

Vou pegar novamente o exemplo do site de Pilates. Imagine um site com SEO fraquinho: o nome da página vai ser Aulas. Afinal de contas, é lá que serão apresentados os detalhes sobre as aulas.

Mas um título específico (como comentei ali em cima) vai muito além disso. O Pilates é algo bem regionalizado, não imagino alguém cruzando uma cidade grande como São Paulo para praticar. Concorda?

Então o título dessa página pra mim seria: Aula de Pilates com Aparelho na Vila Mariana.

Percebe que inclui que é uma aula, que é com aparelho e que nossa localização é no bairro da Vila Mariana? Imagina alguém no Google buscando por aula de pilates. É bem provável que a pesquisa dela seja essa, não é?

Uma dica simples para você pensar nos títulos das suas páginas: entre no Google e comece a digitar o que você faz, ele vai te trazer as sugestões de como as pessoas pesquisam. Você pega essa informação e configura seu site.

Esse ponto aqui trás um norte importante: para ter um site eficiente você precisa planejá-lo pensando em quem vai usar, quem você quer atrair para ele.

8 e 9. E o conteúdo? Fique de olho nas palavras-chaves e na quantidade de conteúdo

Se tem uma palavra que já escrevi várias vezes aqui é experiência. Outra foi relevância.

Começando na experiência, o Google espera sempre entregar para o melhor resultado para o visitante. A maneira dele de entender o que é melhor para alguém é escaneando seu conteúdo para entender se você entrega o que a maioria dos usuários esperam.

Pensando nisso, é importante demais que as páginas do seu site tenham bastante texto. Se você puder, inclua vídeos e imagens para exemplificar. Mas se não, preocupe-se em criar um bom conteúdo de pelo menos 1.200 palavras por página.

Poxa Marcelo, mas 1.200 palavras? As pessoas leem tudo isso?

É bem provável que não leiam, comentei ali em cima sobre elas escanearem o conteúdo. Mas o Google vai ler e vai ranquear seu site. A partir dai, é trabalhar a conversão dos seus visitantes em leads e vender para eles.

Já vi bastante dono de site falar: as pessoas me perguntam o que está escrito no site.

E sempre vão perguntar. Nem todo mundo lê o que está escrito em uma página. Mas é importante demais que você tenha as informações mais relevantes para o que está oferecendo.

Falando em conteúdo, é bem comum que os donos do site já tenham ouvido: você precisa repetir o termo que quer ranquear ao longo do texto. Isso é muito real.

Mas calma!
Não vai exagerar e repetir a palavra-chave a cada parágrafo. Assim, o Google pode te punir por tentar ludibriar o robôzinho.

E vamos combinar né? Ninguém gosta de ficar sendo enrolado, seu visitante vai perceber que você criou um conteúdo chato e repetitivo. E aí meu amigo, não tem jeito, você pode ser o primeiro no Google que se seu conteúdo estiver ruim, o cidadão vai embora.

Concentre-se em ter a palavra-chave que deseja ranquear no título, no primeiro parágrafo, nos subtítulos, na conclusão e em alguns pontos da sua página. Sem exagerar.

10. Último item: como estão seus links internos?

Essa é para fechar. O Google quando escaneia seu site olha: as páginas e as conexões entre elas.

O que isso quer dizer?
Simples, que é mais relevante para ele as páginas que têm mais links apontando pra ela.

Imagine minha página da Aula de Pilates, ela é a principal página pra eu ranquear no meu site. Então eu vou buscar fazer um link com ela em todas as páginas e blog posts possíveis. Sempre vou referenciá-la, quando o Google olhar meu site vai pensar: com certeza essa é uma página importante, olha o tanto de outras páginas que fazem referência a ela.

É mais ou menos a mesma importância que ele dá para os links que você tem espalhados por aí, mas isso já é assunto para nosso outro conteúdo sobre backlinks..

Então, minha dica é: dê uma olhada nos seus blog posts, veja onde consegue linkar com as principais páginas do seu site. Depois dê uma olhada nas demais páginas, veja como pode referenciar conteúdos relevantes.

Certo, fiz tudo isso. E agora?

Agora é acompanhar! Fez seu site cumprir os pontos que comentei aqui em cima? Conferiu página por página?

Fique de olho no seu Google Analytics e no Search Console. O primeiro vai te mostrando quantas visitas orgânicas você tem, consegue comparar com outros períodos, checar as páginas de entrada, o tempo que os visitantes orgânicos ficam, quais páginas navegam…

E no Search Console (antigo Webmaster Tools) vai acompanhando quantos termos seus estão ranqueando, como as pessoas estão buscando por eles, quais posições seu site está, quais páginas estão melhores ranqueadas…

Costumo ficar de olho nos dois a cada 10 ou 15 dias, menos que isso no começo você não vai enxergar tanta diferença.

Conclusão das 10 coisas pra avaliar seu site

Pega esse subtítulo aqui em cima combinando com o título da página, hein? 😉

Para concluir queria deixar bem claro que essa otimização do site é um processo e tanto, dá um trabalhão, algumas partes podem ser “invisíveis” para os visitantes mas vale muito a pena.

Vale por dois grandes motivos:

  1. Quem aparece no Google parece mais importante e referência para quem busca (você já ganha uns pontinhos)
  2. Economiza grana de anúncio quando aparece para os termos mais interessantes. Imagina ranquear uma palavra-chave que te custaria R$3 por clique. Se você tiver 500 visitas nesse termo está economizando R$1.500 por mês = R$18.000 por ano.

Gosto de fazer essas contas porque além de trabalhoso, o resultado é a médio/longo prazo. Então pode ser que você desista no meio do caminho, mas se fizer isso, está abrindo mão de uma receita muito importante. E o principal: deixando de ser independente das visitas pagas.

E aí?
Como está a qualidade do SEO do seu site?

Até a próxima!

Marcelo Oliveira

Sócio-fundador da Farmer, psicólogo de formação, trabalha com Marketing Digital desde 2008. É apaixonado por SEO, Inbound, Marketing de Conteúdo e Wordpress. Viciado em livros, corrida e uma boa pedalada.

Sem comentários

Comente!